IMG-20190123-WA0012

 

Muitas eram as expectativas quanto a conferência Holydays desse ano, mas novamente o Pai excedeu as expectativas. É difícil escolher um destaque ou um dia preferido quando Deus estava presente a todo o momento. A líder da Unidade Novos Jovens e responsável pela conferência, Érika Ferreira, afirma que além de superar o que esperavam, o Holydays 2019 tomou proporções inimagináveis em relação ao público que chegou até mil pessoas por dia, em média. “Nós vemos a quantidade de detalhes, de coisas que precisam ser feitas com excelência pra Deus e se tivéssemos noção do tamanho do Holydays esse ano, iríamos recuar. Por isso que Deus só nos mostra na hora.”, conta Érika. Com uma equipe de quase 100 trabalhadores envolvidos em diferentes áreas, a palavra que mais define o “Holy Staff” é unidade. O empenho do grupo em fazer parte do Holydays e de viver a experiência de perto fez com que todos estivessem alinhados e com um único propósito: realizar o Holydays com excelência. “A gente tinha uma escala de trabalhadores que parecia encontro. Todos queriam ajudar o máximo, vestir o crachá, vestir a camisa mesmo do Holydays. O Coffee Break com uma equipe de mães, que exalava perfume de mãe. As meninas da Store estavam super empenhadas, a Mídia que foi incansável e todos dando o seu melhor para que acontecesse.”, lembra a líder da Unidade Novos Jovens. O esposo de Érika e também líder da Unidade Novos Jovens e responsável pelo Holydays, Jefferson Ferreira, conta que valorizar os talentos e os ministérios da casa estava entre as prioridades do evento. “Fizemos questão de valorizar a prata da casa. No primeiro dia tivemos o DJ Matheus Vitório, a abertura da Dança e o Ministério Sara Fernandes. Na sexta, a banda da Unidade Jovem e o Teatro pra fechar no último dia. Todos os dias quisemos valorizar os de dentro.”, ressalta Jefferson. O Momento Oportunidade, realizado todos os dias, foi outra forma de honrar os membros da IAUC. Adolescentes das igrejas da Ilha, Caxias, Barra e Xerém foram convidados ao altar para dar uma rápida palavra. Dessa forma, as Unidades em Cristo filhas tiveram seu espaço de reconhecimento. Os convidados estavam livres para dar a palavra que o Espírito Santo guiasse, o que resultou em diversas visões sobre identidade em cristo, propósito e a relação com o mundo. “Todos eles falaram sobre como cada um é único, as opiniões alheias. O Pastor Vitão que falou da armadura de Saul, que Davi preferiu a armadura que Deus deu para ele do que a que Saul ofereceu porque. O teatro retratou muito bem isso também, como os jovens querem uma vida, uma realidade que não é deles, como constrói-se um mundo virtual para esconder o real. O João Paulo e o DJ Matheus Lazaretti que falaram do ministério deles também, do propósito de Deus com cada um”, lembra Érika. O retorno foi imediato. Adolescentes, jovens, trabalhadores e outros participantes já pedem pelo Holydays 2020. Alguns sugerem até versões pockets na Praia da Bica. Alguns membros da IAUC que estavam fora do país acompanharam a conferência pela Transmissão Ao Vivo clamaram pela realização do Holydays de Inverno, uma versão nas férias de Julho. “As pessoas já estavam ansiando pelo próximo, perguntando qual seria o tema, sugerindo convidados e teve gente da IAUC que está na Rússia, nos Estados Unidos e pediu um de inverno para poderem participar. O alcance foi muito além do que pensávamos.”, afirma a responsável pelo evento. O DJ Matheus Lazaretti, que já participou do Holydays 2018, conta como foi a experiência de participar novamente e as impressões que teve da conferência. “ Na primeira vez a expectativa era de estar conhecendo vocês mais de perto e quando eu conheci, eu descobri uma galera que buscava Jesus com intensidade e que fazia tudo com excelência e carinho. Na segunda vez, imaginei que as coisas estivessem mudado. Mas eu vi que permaneceu tudo igual. Manteve a excelência, o amor, a organização e o, mais importante, a profundidade com Deus. Algo que me chamou muito a atenção foi que o Holydays é um evento para jovens e lá a gente via crianças e gente de idade celebrando Jesus, dançando, se alegrando e prestando atenção no que Deus tem pra fazer. É um projeto que não atinge só os jovens mas que alcança famílias e pessoas mais velhas.”, finaliza o DJ.

Texto: Beatriz Puente

Fotos: Divulgação