CONHECIDO POR DEUS

 

Cornélio era um homem conhecido pelos homens, ele tinha prestígio, posição social, enfim tudo o que um homem pode desejar, mas o mais precioso em sua vida é que ele era conhecido por Deus! Leiamos o que a palavra tem a dizer sobre este homem: “Morava em Cesaréia um homem de nome Cornélio, centurião da corte, chamada a italiana” (At 10:1).
Este versículo é um verdadeiro contraste com o versículo 2, para esclarecermos esta afirmação precisamos entender alguma coisa sobre a cidade onde Cornélio vivia.

Ele morava em Cesaréia, esta cidade foi construída por Herodes com o intuito de agradar aos gentios, e, sobretudo aos Romanos. Em Cesaréia, Herodes construiu um dos mais magníficos e imponentes portos da Antiguidade.

Herodes com este porto tinha dois objetivos:
     • Abrir as portas para a exportação e recepcionar e impressionar as legiões romanas.
Este porto era um portão para a entrada do helenismo. O objetivo de Herodes era conseguir o apoio de Roma para trazer riquezas, fama e segurança para si, o porto era a garantia de tropas e divisas para Israel. Nesta cidade Herodes construiu um teatro que comportava 4000 pessoas sentadas, um anfiteatro e um templo para homenagear o Imperador Cesar Augusto. No Teatro eram apresentadas peças obscenas, esta era a glória do mundo helenista. Em outras palavras, em Cesaréia imperava o materialismo, o culto ao corpo, a sede do poder, a superficialidade e a idolatria (adoração ao imperador romano e aos seus deuses). Em Cesaréia havia um hipódromo onde jovens que cultuavam seus corpos, competiam nus para receberem prêmios que eram dedicados a deuses.
Herodes construiu esta cidade para si, mas em meio a este luxo e materialismo Cornélio começou a ser despertado para as obras de um outro arquiteto.

Herodes usou mármore importado, mas mesmo com o seu sonho realizado sua família naufragou, ele foi um grande Rei solitário com uma triste estória familiar. No entanto, Jesus o grande Arquiteto, veio para construir o lindo Edifício que é o Corpo de Cristo (e que ainda está em construção) usando outro tipo de material, Jesus usa o amor, para unir suas pedras vivas:

     “Também vós mesmos com pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo…” (1 Pe 2: 4-8 ). Cornélio morava nesta cidade, ele era um centurião, para ocupar este cargo ele deveria ser cidadão romano e servir o exército por 25 anos. Este cargo de centurião era de importância política e social, ele tinha sob o seu comando 100 homens tremendamente especializados. Cornélio tinha tudo para ser um homem superficial e orgulhoso, impiedoso, racional, mas quando desceu do seu navio que o trouxe de Roma, algo diferente aconteceu em sua vida. Os olhos de Cornélio não ficaram deslumbrados pelo poder que ele exerceria nesta deslumbrante cidade, a mudança em sua vida pode ter ocorrido porque ele deve ter ficado impressionado pela beleza de Cristo resplandecendo na vida de alguma pessoa que servia a Deus.
     Herodes construiu uma cidade para brilhar entre os homens, mas sempre nos lembramos dele mais pelo fato de ter perseguido os bebês pelas suas grandes obras. Pequenos grandes homens brilharam intensamente quando viveram para que o mundo visse que existe Deus em Israel. Através da confiança de Davi toda a terra ficou sabendo que havia Deus em Israel (1 Sm 17: 46). Os olhos de Cornélio não ficaram embaçados pelo brilho do mármore importado que revestia toda a cidade, mas pelo brilho da glória de Deus em vidas que lá viviam.
      Agora leiamos o versículo 2 do capítulo 10 de Atos:
     “… piedoso e temente a Deus com toda a sua casa, e que fazia muitas esmolas e de contínuo orava a Deus” (Atos 10:2). Estas características acima citadas não seriam o quadro descritivo para um soldado Romano do gabarito de Cornélio. Em Israel este homem começou a desenvolver seus músculos espirituais, lemos acima que entre outras coisas, ele era piedoso e temente a Deus.

Ser piedoso significa ser devotado, dedicado; e ser temente a Deus significa dar prioridade a Deus, respeitá-lo e amá-lo.

     Cornélio com o dinheiro e prestígio que possuía poderia estar gastando seu tempo livre em orgias, ou poderia estar tentando bajular homens para subir cada dia mais, no entanto ele no seu tempo livre ficava com sua família buscando a Deus, as prioridades de Cornélio eram: Deus e sua família. Certo dia, quando orava às 3 horas da tarde Cornélio teve uma visão, ele havia aprendido com os judeus a orar 3 vezes por dia, no momento da adoração, o anjo se aproximou e o chamou pelo nome:
     “Esse homem observou claramente durante uma visão, cerca da hora nona do dia, um anjo de Deus, que se aproximou dele e lhe disse: Cornélio… as tuas orações e as tuas esmolas subiram para a memória diante de Deus” (At 10: 3,4)
O anjo chamou Cornélio pelo nome, porque ele era conhecido no céu, será que você também é conhecido no céu? A quem Deus conhece? A quem os anjos conhecem? Deus conhece a todos os que O amam com toda a sua alma, com toda a sua força e com todo o seu entendimento, em outras palavras, os adoradores são conhecidos por Deus e pelos anjos:
     “Mas se alguém ama a Deus este é conhecido por Ele” (1 Co 8:3)
     Quando somos conhecidos por Deus não precisamos correr atrás de profetas, o Senhor mesmo mobiliza anjos e homens em nosso favor. Cornélio nunca imaginou que Deus iria mover o apóstolo Pedro para ajudá-lo, mas os amados de Deus recebem tratamento especial!
Anjos e homens também foram mobilizados em favor de Daniel, homem que foi chamado de “muito amado”:
     “… Segundo a Sua vontade Ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem possa deter a mão nem lhe dizer: Que fazes?” (Dn 4: 35).

O anjo revelou uma verdade impressionante, não só as nossas orações chegam diante do altar de Deus, mas as nossas ações também. As orações e a ajuda financeira de Cornélio chegaram diante do trono de Deus, o Senhor contempla quando ajudamos um ministério ou a um irmão necessitado. Nossas ações devem ser coerentes com o que os nossos lábios confessam impossível dizer que ama a Deus, mas não amar aos ministérios e aos irmãos.

     Cornélio foi marcado por Deus e sua vida estava marcando todos os que o cercavam. Por vezes o testemunho da nossa vida surte mais efeito do que muitas palavras. Os familiares de Cornélio devem ter observando alguma diferença em sua vida e isto os levou a servir a Deus. Entre os seus soldados um deles também temia a Deus provavelmente tocado pelo que Deus fizera na vida de Cornélio:
     “Logo que se retirou o anjo que lhe falava, chamou a dois de seus domésticos e a um soldado piedoso dos que estavam no seu serviço” (At 10:7).
     O soldado e os domésticos se dirigiram conforme a orientação do anjo para Jope em busca de Pedro. Para este apóstolo ir para Cesaréia não era uma decisão tão fácil. Se dirigir àquela cidade helenista, símbolo da dominação romana e atender a um centurião, que oprimia tanto aos judeus era uma tarefa árdua para Pedro.
     Nunca esqueçamos que Pedro sempre teve uma tendência Zelote, ele cresceu e sempre viveu na área mais tradicional de Israel (Galiléia), onde aprendeu a abominar lugares helenizados.
     Deus precisou lidar com o coração de Pedro, precisou retirar todos os preconceitos e ensiná-lo a amar incondicionalmente.
     Quando somos chamados para o ministério precisamos nos despojar de todo tipo de preconceito para amarmos da forma como Jesus amou. Pedro mesmo com algumas barreiras interiores obedeceu sem questionar.
     Ao chegar a Cesaréia, Pedro encontrou um grande número de pessoas esperando por ele na casa de Cornélio.
     Este centurião despojado de todo orgulho e sem a preocupação de manter a aparência de um homem todo poderoso, racional e calculista, reuniu seus parentes e amigos mais íntimos:
     “… Cornélio estava esperando por eles, tendo reunido seus parentes e amigos mais íntimos… encontrando muitos reunidos ali” (At 10: 2, 27).

Se Cornélio estivesse preocupado em agradar a homens estaria em frente ao Templo erigido em homenagem a Cesar e estaria oferecendo sacrifícios ao Imperador diante dos olhos de todos, mas o que este adorador realmente desejava era agradar ao coração do Deus de Israel.

     Cornélio já possuía as características de Cristo em sua vida, a humildade de sair ao encontro de Pedro mostra a alegria genuína de uma criança, que não se envergonha em demonstrar seus sentimentos.
     Cornélio poderia ter ficado esperando Pedro dentro de casa, mas saiu correndo ao seu encontro, sabemos que Jesus disse que só pode herdar o reino de Deus os que agirem com a sinceridade, humildade, fé e amor de uma criança. Cornélio já havia sido tocado pelo Espírito de Deus, mas aquela reunião era de fundo evangelístico e de avivamento.
     Pedro tinha diante de seus olhos homens e mulheres ricos e influentes que precisavam de Deus, estas pessoas com certeza não tinham problemas financeiros, não estavam sobrecarregados com os impostos de Roma e de Herodes, mas possuíam problemas emocionais e familiares e um vazio espiritual que os deuses romanos não podiam preencher.
     A Igreja não pode ficar limitada a 4 paredes, aqueles que nem imaginamos que possuem problemas e necessidades estão esperando para que possamos dar uma palavra de consolo e salvação, o mundo está com fome e sede de Deus e precisamos estar prontos para este momento.

Os soldados levaram dois dias para irem e dois para voltarem e neste intervalo de 4 dias Cornélio aproveitou para evangelizar. A única certeza de que o Centurião tinha de que Pedro por ser judeu viria para ajudá-lo era a palavra que Deus havia lhe dado.

     Quando Pedro chegou todos estavam reunidos na casa de Cornélio mesmo sem saber a hora e o dia que Pedro chegaria, com certeza durante aqueles 4 dias eles ficaram reunidos esperando, orando e ouvindo o testemunho de Cornélio. Nem por um segundo Cornélio duvidou da veracidade da mensagem do anjo, ele poderia estar se arriscando passar por um vexame caso Pedro não fosse a Cesaréia, mas ele creu.
Pedro ao entrar na casa de Cornélio disse:

“Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos” (At 10: 36).

     Jesus veio anunciar as boas novas de paz, como sabemos paz em hebraico é shalom e esta palavra significa:
     • Tranqüilidade, segurança, riqueza, saúde, alegria, sucesso, conforto.
      Este é o Evangelho de reconciliação e restauração existe melhor notícia do que esta? A boa notícia que Pedro trazia para eles é que na palavra de Deus, eles poderiam encontrar solução para todos os seus problemas.
     Pedro ainda continuou explicando qual era o ministério de Jesus e que agora estava delegado a todos os que Nele cressem:
     “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com Ele” (At 10: 38)
     Jesus andou por todas as partes curando todos os oprimidos do diabo, esta opressão não se limitava só a doenças físicas, mas a todas as feridas causadas por roubo, destruição familiar, traumas emocionais…
Cada uma daquelas pessoas na casa de Cornélio ouviu aquelas palavras de esperança, e mais do que isso elas creram, que aquele mesmo poder estava disponível para eles.
Enquanto Pedro ainda estava falando o Espírito Santo veio sobre todos, os fazendo experimentar a realidade do que Paulo disse:
     “Porque o reino de Deus consiste, não em palavra, mas em poder” (1 Co 4:20)

Experimente esta realidade em sua vida, o reino de Deus não consiste só de promessas, mas de poder liberado para que elas se cumpram.

     Experimente este poder de restauração e transformação em sua vida, a exemplo de Cornélio abra o seu coração de forma total e permita que Jesus reine em sua vida e em sua família. Se assim o fizer, seus olhos espirituais serão abertos e você receberá o toque de poder do Espírito de Deus.
Pra Nayra Pedrini