zion-hostel-and-cafe

Obreiros cristãos apostam em negócio próprio como local de pregação do evangelho

Pregação nas ruas e construção de igrejas possivelmente são as estratégias de expansão missionária mais comuns no mundo. Contudo, há lugares onde isso simplesmente não é possível. Seja pela proibição do governo, seja pela perseguição da religião majoritária, a decisão de alguns missionários em áreas tradicionalmente resistentes ao cristianismo é a abertura de negócios legítimos como local de pregação aos interessados.

Em entrevista à CBN, a missionária Christina Kwak contou que essa foi a sua opção ao abrir o Zion Hostel and Cafe [Albergue e Cafeteria Sião], localizado no coração de Chiang Mai, Tailândia, país de maioria budista, conhecido por ser um centro internacional de tráfico humano.

“Nós não queremos apenas ser outro hostel”, disse Kwak, explicando que os hotéis de baixo custo, chamados de albergues no Brasil, atraem sobretudo estudantes. “Queremos ser um lugar onde eles possam andar e sentir algo diferente. Aqui eles se sentem amados, inspirados e cuidados”.

O prédio foi comprado há algumas semanas pela organização Adventures in Missions, uma das pioneiras no conceito de usar “negócios como missão”.

A ideia por trás do investimento é que um missionário pode fazer mais do que plantação de igrejas. “Aqueles que têm a experiência administrativa”, explicou Kwak, “seja lidando com a questão financeira ou marketing … todos podem usar isso para influenciar pessoas para o Reino. Sempre existe uma maneira de usar nossos dons e talentos, além de experiências de vida, para promover o reino de Deus”.

A cafeteria que funciona no espaço anexo ao hostel é um exemplo de como servir um simples café pode ser uma oportunidade de pregação. Hope, uma das missionárias que trabalha no Zion Cafe, recentemente iniciou uma conversa com uma cliente que nunca tinha ouvido o Evangelho.

“Eu adoro conversar com as pessoas sobre Jesus e mostrar-lhes o quanto Ele as ama”, diz Hope.

Com informações CBN